Confira aqui um resumo do Encontro Triathlon Bahia

10/2/2019 | No dia 09 de fevereiro se reuniram presencialmente 15 atletas e técnicos, somados aos 37 atletas, técnicos e árbitros com participação virtual, para discutirem o desenvolvimento do Triathlon da Bahia conforme a pauta abaixo:

Precificação do Registro Federativo
Definição de Calendário
Realização de provas
Finalidades da Federação
Participação dos atletas e técnicos
Modernização de Estatuto
Regulamento de Provas
Leis de incentivo e programas de apoio ao atleta
Comissões
Triathlon Inclusivo
Triathlon Escolar
Triathlon Alto rendimento


Durante o encontro foram apresentadas explicações, informações e sugestões sobre diferentes temas. Tanto o público presente, quanto o virtual, expuseram seus pensamentos.

Alguns temas tiveram destaques e foi descrito abaixo em forma de resumo.

Precificação do Registro Federativo
Foi explicado o conceito da formação de preço e a forma que foi calculado o valor do Registro Federativo, que teve como princípio o resultado da projeção orçamentária,  levando-se em conta a expectativa conservador do número de triatletas federados para 2019. Outras formas de cálculo também foram mencionadas.

Definição de Calendário
A formação do calendário 2019 foi feita mediante consulta com técnicos e atletas. Para a montagem da minuta de calendário, levou-se em conta as principais provas de Triathlon do Brasil e também importante provas de corrida da Bahia, de forma que fosse evitado o conflito de datas. Após a detecção das datas disponíveis, montou-se um calendário compatível com aspectos de treinamento e periodização, viabilidade técnica e perspectivas de apoio local, item imprescindível para realização de provas. A partir da publicação da minuta do calendário já existem 02 duas propostas de provas em Ilhéus e 01 na cidade de Juazeiro.

Realização de provas
Foram desenvolvidos 03 (três) formatos distintos de provas, organizados através do padrão A, B ou C. A prova padrão “A” sera realizada quando houver um patrocinador máster. A prova padrão “B”, que é mais simples do que a “A”, será realizada quando houver um patrocinador do tipo ouro ou prata. Já a prova padrão “C”, será a opção de prova quando não houver recursos externos, fazendo com que a prova seja simplificada, sem comprometer a segurança ou a qualidade técnica.
 
Finalidades da Federação
Foi esclarecido algumas das principais finalidades da federação de Triathlon, que vai muito além de apenas realizar provas. As atividades da Federação, tem como objetivo administrar, dirigir, fomentar, incentivar, fiscalizar, difundir o Triathlon na Bahia.

Participação dos atletas e técnicos
Assim como os atletas, os técnicos também são agentes essenciais para o desenvolvimento do esporte. Os técnicos podem muitas vezes representar os interesses de seu grupo de atletas, e dessa forma otimizar todo o processo de comunicação. Trocando informações de forma rápida, transmitindo suas demandas à Instituição e levando orientações aos seus alunos com muito mais eficácia. Para isso, foi citado o modelo de “Federação de Clubes” que é adotado pela FBDA, onde as assessorias são filiadas a Federação. Durante este momento, foram colocados prós e contras em adotar este formato. Do mesmo jeito que em outros temas, este também se trata de ideias e sugestões que precisam ser discutidas e adaptadas aos interesses tanto das assessorias, quanto dos atletas e entidade.

Modernização de Estatuto
Ponto unânime, discutiu-se a necessidade de atualização do estatuto. Tanto por questões obrigatórios, quanto por estratégia institucional. O modelo exemplo como referência, foi o estatuto da Cbtri. Que será analisado, adaptado dentro do possível, para tornar o estatuto moderno, seguro juridicamente e apto para proporcionar o desenvolvimento do Triathlon da Bahia.

Regulamento de Provas
A formatação da prova, competições e rankings, podem influenciar bastante no fomento ao esporte dentre outros aspectos. Foi discutido a necessidade de criar-se novos tipos de rankings, no caso infantil, overall (acima de 40 anos), equipes e um ranking geral do triathlon que contemplasse a somatória de pontos dos diferentes tipos de provas, no caso, triathlon (Sprint, olímpico e long distance), aquathlon e duathlon. Além disso, seriam mantidos os rankings de cada modalidade.


Leis de incentivo e programas de apoio ao atleta
Foi explicada algumas formas de apoio ao atleta através de programas de incentivos e apoio econômico.

Comissões
Com a mudança do estatuto, abrirá caminho para finalmente formar as comissões de técnicos, árbitros e atletas, que terão maior representatividade na instituição.

Triathlon Inclusivo
Foi citada as políticas inclusivas que a Febatri adota, e uma delas, sobre a inscrição em eventos, comentou-se sobre a necessidade do atletas maior de idade entrar em contato com a Febatri, para obter o seu desconto. Da mesma forma que é feito por provas nacionais. (informação confirmada após o encontro).

Triathlon Escolar
Unanimidade também sobre a necessidade de levar o triathlon para as escolas. Em Portugal, existem mais de 3000 triatletas infantis federados, enquanto que no Brasil, registrados, existem pouco mais de 200. Na Bahia, os números são ainda menores. Para aumentarmos a probabilidade de gerarmos futuros campeões e perpetuar o esporte, uma das ações, seria aproximar o Triathlon do público escolar e infantil. Ações nas escolas e a realizações de um momento “KIDS” nas provas, serão essenciais para isso. Ficou a sugestão de criar um grupo para realizar ações nas escolas e outro grupo, para realizar o momento “KIDS” nas competições. Isso tudo será discutido e organizado, prezando a segurança e a proteção desse público.
 
Triathlon Alto rendimento
A necessidade da premiação pecuniária foi um dos itens discutidos em relação ao Triathlon de Alto rendimento. Além disso, a necessidade de formar uma seleção e identificar formas de apoiar estes atletas.


Todos estes pontos e mais alguns foram discutidos. Agora, será preciso formatar as propostas e para isso, será fundamental reunirmos as opiniões e sugestões dos atletas, técnicos e árbitros interessados em contribuírem com o desenvolvimento do esporte.  O conjunto destas informações, guiará importantes mudanças que serão feitas e propostas na Assembléia Geral que acontecerá no dia 21 de fevereiro.

Portanto, os interessados deverão ficar atentos aos avisos e convocações referente a estes temas.

Os vídeos do Encontro estão sendo publicados no link abaixo:

AGENDE-SE

DESTAQUE

Oficiais Técnicos baianos são certificados pela União Internacional de triathlon (ITU)

A Bahia se torna um Estado com grande contingente de Oficiais técnicos com certificação internacional


Confira aqui um resumo do Encontro Triathlon Bahia

No dia 09 de fevereiro se reuniram presencialmente 15 atletas e técnicos, somados aos 37 atletas, técnicos e árbitros com participação virtual, para discutirem o desenvolvimento do Triathlon da Bahia conforme a pauta abaixo:


Encontro Triathlon Bahia

Triatletas, técnicos e árbitros do triathlon baiano se reunirão para discutirem o desenvolvimento do esporte no estado


PARTICIPE

Contribua com sugestões  FALE CONOSCO